Conteúdos

Esse review vai ser um dos menores aqui do blog, pois, quando fui para a Áustria, esqueci minha carteira em casa. Vê se pode alguém fazer uma bobagem dessas.

Peguei um trem na Hungria, mais precisamente em Debrecen, com uma troca de trem em Budapeste, se não me falha a memória. Entre Debrecen e Budapeste da uns 300 Km, assim como de Budapeste para Viena.

Estação de trem de Gÿor
Foto de dentro do trem, em Györ, Hungria.

A viagem ao todo deu umas 12 horas, o clima estava bem agradável, apesar da neve derretendo. Como saímos cedo, chegamos perto do meio-dia.

A chegada

Foi aí que começou o problema. Como eu morava na Europa na época, viagens do tipo são tratadas de forma casual, como ir para outro estado aqui no Brasil, e somado a confusão de acordar muito cedo, deixei a carteira em casa. Por sorte, e nada além de sorte, eu tinha na mochila dinheiro o suficiente para a passagem de volta, que sairia final da tarde. Poderia pegar o mesmo trem outro dia, mas o dinheiro estava bem contato, não daria para comida + hostel, e por causa disso, resolvemos passear apé mesmo pela cidade com as horas que nos restava. Foi frustrante viajar mais tempo do que ficar na Áustria, mas serve para rir hoje em dia.

Caminhando

Com o dinheiro mais apertado que calças de caubói, o jeito foi gastar a sola do tênis, mas é algo que sempre curto fazer, para ter uma experiência mais completa da cidade.

Algum lugar na Áustria.
Neve derretendo é uma nojeira.

Baseado na localização da estação de trem, resolvemos dar uma caminhada na cidade e ir para um ponto turístico próximo, que por sorte era o Palácio de Schönbrunn, um dos pontos mais importantes do local.

Palácio de Schönbrunn

O Palácio de Schönbrunn (Schloss Schönbrunn) foi a principal residência de verão dos governantes dos Habsburgos, localizada em Hietzing, Viena. O palácio barroco de 1.441 quartos é um dos mais importantes monumentos arquitetônicos, culturais e históricos do país. Desde meados da década de 1950, tem sido uma grande atração turística. A história do palácio e seus vastos jardins abrangem mais de 300 anos, refletindo os gostos, interesses e aspirações em mudança de sucessivos monarcas Habsburgo.

Palácio de Schönbrunn no fim de inverno
Parte frontal do palácio, com o sol de fim de tarde, se aproximando do outono.

Apesar de muito bonito, não entramos no palácio esse dia. Peço perdão novamente pela falta de memória, mas não sei dizer se foi porque estava fechado, foi falta de dinheiro ou tempo haha. Lembro de ir à loja de souvenirs e comprar um isqueiro com uma foto do palácio para minha coleção, mas que fora isso, não era nada excepcional (o isqueiro e a loja).

Pilar da entrada de Schönbrunn
Detalhe da parte traseira de um dos pilares da entrada da área principal do Palácio.

Seguindo viagem

Com nosso tempo curto, seguimos nossa caminhada por Viena. Com um padrão bem europeu, eu que não conheço a Alemanha, consegui sentir um toque do que deve ser, principalmente pelo idioma.

Igreja da Áustria
Tentei achar o nome dessa Igreja, mas Viena possui mais de 200, então desisti.
Outra igreja da Áustria
É sério, tem muita igreja.

Prosseguimos a caminhada no dia frio e ensolarado sem maiores destaques. O clima da cidade foi muito agradável, e em nenhum momento não me senti seguro. O povo não é muito amigável, como não é de se surpreender na Europa, mas nada que chamou atenção.

Portanto…

Lugar agradável e bem cuidado, padrão europeu, mesmo com o tempo curtíssimo, não me arrependo de ter ido, apenas de não ter ficado mais. Saí com a sensação de só ter visto a superfície, ate acho errado dizer que conheço a Áustria. Conheço sim é algumas ruas.

9/10, voltaria caso conveniente.

Por fim, termino esse breve review com uma foto estranha e mal batida, ótima representante do conceito de viajar sem carteira!

Turbinas de vento em algum lugar da Europa.
Algum lugar entre Debrecen e Viena. Manhã de inverno, 2015.

Deixe um comentário

pt_BRPortuguese
en_USEnglish pt_BRPortuguese