Mentiras, malditas mentiras e estatística

Dia desses, enquanto dirigia, vinha ouvindo rádio, e numa propaganda de uma universidade que dizia que “Quem tem graduação ganha até 3 vezes mais”, citando como fonte o IBGE.

Claro, é inegável que uma graduação tem impactos positivos na vida pessoa e profissional das pessoas. Não devemos, porém, esquecer que quem faz uma graduação no Brasil, frequentemente já vem de uma posição de maior privilégio social, que por si só já aumenta a sua chance de um salário melhor.

Os dados do IBGE de 2011 dizem:

Com ensino superior: R$ 4.135,06

Sem ensino superior: R$ 1.294,70

Ou seja, mais de 3×, no ano de 2011, mas sem considerar a classe social, e os demais fatores que influenciam, como gênero ou etnia, fazendo com que seja sim uma informação válida, mas ainda assim muito vaga.

Bons exemplos de porque uma correlação de valores não deve ser tomada como verdade de forma tão cega pode ser visto no site: tylervigen.com/spurious-correlations, que mostra uma grande variedade de coincidências correlações espúrias.

Como, por exemplo, a imagem abaixo, que correlaciona o consumo de queijo Muçarela com o número de doutorados em engenharia civil, entre 2000 e 2009, com um coeficiente de correlação de 0,958648, ou seja, mais de 95% de correspondência.

Igual a esse post, o título deste aqui também é uma referência a Racionais. Era. Agora referencia a Benjamin Disraeli: “There are three kinds of lies: lies, damned lies, and statistics.”

unsplash-logoCharles Deluvio 🇵🇭🇨🇦

Deixar uma resposta

pt_BRPortuguês do Brasil